Imagem: Prefeitura Municipal de Guararema

Prefeitura de Guararema cria Unidade de Conservação para a proteção de ave ameaçada de extinção

Refúgio de Vida Silvestre Bicudinho-do-brejo-paulista é resultado de esforços do poder municipal com apoio de organizações da sociedade civil como a SAVE Brasil, o Instituto Suinã e a Guaranature

Na noite desta quinta-feira (24/10), em reunião do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente de Guararema (SP), o Prefeito Adriano de Toledo Leite assinou o Decreto que cria o Refúgio de Vida Silvestre do Bicudinho-do-brejo-paulista, a primeira Unidade de Conservação a proteger essa espécie rara, que somente ocorre na região e é criticamente ameaçada de extinção. Além de proteger o meio ambiente, o Refúgio deverá atrair pessoas do mundo todo para a observação de espécies ameaçadas de extinção, como a ave que dá nome à reserva.

Imagem: Prefeitura Municipal de Guararema

Imagem: Prefeitura Municipal de Guararema

A criação do RVS é resultado de esforços da Prefeitura de Guararema e da SAVE Brasil (Sociedade para a Conservação das Aves do Brasil), em parceria com organizações locais da sociedade civil, como o Instituto Suinã e a Guaranature. O processo de criação contou também com a colaboração do Conselho Municipal de Meio Ambiente de Guararema, que deverá, futuramente, integrar o Conselho Gestor da RVS.

Segundo Pedro Develey, Diretor Executivo da SAVE Brasil, “a criação do Refúgio de Vida Silvestre representa uma grande vitória para a conservação em longo-prazo do bicudinho-do-brejo-paulista. O comprometimento da Prefeitura Municipal de Guararema e parceiros locais foi crucial para esse resultado, e é um bom exemplo para ilustrar como diferentes setores da sociedade podem trabalhar juntos para promover a conservação da biodiversidade”.  Para o Prefeito Adriano Leite, a UC contribui para a proteção de todo o patrimônio biológico da região, incluindo os recursos hídricos. “Acredito que com isso estamos avançando muito no que se refere à preservação do Meio Ambiente que impacta diretamente na qualidade de vida e bem-estar da população”, complementa.

Em 2016, a então Secretaria de Meio Ambiente e Planejamento Urbano de Guararema tomou conhecimento da ocorrência do Bicudinho-do-brejo-paulista na região por meio de ambientalistas e observadores de aves dos municípios vizinhos de Salesópolis e Mogi das Cruzes. A partir disso, a Diretoria de Educação Ambiental iniciou uma busca por informações e parceiros que pudessem ajudar a Prefeitura na preservação da espécie, que é extremamente rara e está criticamente ameaçada de extinção. Com o objetivo de fomentar debates acerca da ligação entre a observação de aves e a conservação da natureza, a Diretoria promoveu o seminário Avistando Guararema. O evento de observação de aves reuniu ornitólogos e especialistas da área.

A concepção de uma unidade de conservação que protegesse o bicudinho e outras espécies de fauna da região foi discutida com a Fundação Florestal do Estado de São Paulo, que deu orientações acerca dos trâmites para criação de uma UC. Além disso, a SAVE Brasil contratou os serviços da empresa Mosaico Ambiental, especialista na conservação ambiental com destaque para a criação e ampliação de unidades de conservação estaduais e municipais. Nos anos seguintes, foram firmadas novas parcerias com empresas como a Suzano Papel e a Celulose (antiga Fibria), que contribuiu com informações e mapas da região.

Entre 2017 e 2018, a SAVE Brasil realizou, com apoio da American Bird Conservancy, da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza e outras iniciativas, diversos levantamentos sobre a ocorrência e censo das populações do bicudinho-do-brejo-paulista (Formicivora paludicola) em Guararema, dos hábitats ocupados pela espécie no município e sua composição florística. Também foi conduzido um estudo sobre a composição específica da avifauna nas áreas de entorno àquelas de ocorrência da espécie e em outras áreas de interesse. A vasta pesquisa sobre o bicudinho e a implementação de ações relacionadas à conservação da espécie, como o Avistando Guararema, forneceram insumo para a discussão da criação de uma unidade de conservação específica para a ave. No ano passado, em reunião acerca do assunto, o Diretor Executivo da SAVE Brasil, Pedro Develey, entregou o “Estudo sobre a ocorrência do bicudinho-do-brejo-paulista (Formicivora paludicola) em Guararema, SP” para o Prefeito Adriano Leite. Em 8 de março de 2018, foi protocolada, junto à Prefeitura Municipal de Guararema, uma carta solicitando a abertura do processo para a criação de uma Unidade de Conservação dentro do município (Anexo II) com os objetivos principais de proteger os recursos hídricos e preservar duas espécies ameaçadas de extinção: o bicudinho-do-brejo-paulista e o sagui-da-serra-escuro.

De acordo com Ricardo Moscatelli, Assessor de Análise de Sustentabilidade Ambiental da Secretaria de Meio Ambiente e Planejamento Urbano do município, a Unidade de Conservação “protegerá não só o Bicudinho-do-brejo-paulista, uma ave extremamente rara e ameaçada de extinção, como todos os elementos naturais da Bacia do Putim, outros animais ameaçados ou vulneráveis, a flora e os recursos hídricos. O Ribeirão Putim, que está todo dentro do Refúgio, é um importante tributário do Rio Paraíba do Sul, um dos rios mais importantes do país, cumprindo assim uma função ímpar na proteção e produção de água de boa qualidade.”

Além do bicudinho, a área também abriga outras espécies ameaçadas de extinção como o sagui-da-serra-escuro (Callithrix aurita), um primata endêmico da Mata Atlântica considerado como globalmente ameaçado de extinção, dentro da categoria Vulnerável. Os levantamentos da SAVE Brasil indicaram a existência de 167 espécies de aves em Guararema, mas, considerando dados secundários, existem 253 espécies na região. Foram registradas também no município outras duas espécies ameaçadas de extinção em nível global e nacional: águia-cinzenta (Urubitinga coronata, Em Perigo) e o pixoxó (Sporophila frontalis, Vulnerável), que é uma das maiores vítimas do comércio ilegal de animais silvestres.

O bicudinho-do-brejo-paulista (Formicivora paludicola) é uma espécie criticamente ameaçada de extinção (CR) endêmica do estado de São Paulo, que só foi descoberta em 2004. Sua área de ocorrência é bastante restrita, podendo ser encontrado somente em brejos dos municípios de Guararema, Salesópolis, Mogi das Cruzes, São José dos Campos, Biritiba-Mirim e Santa Branca.

Em parceria com a Prefeitura Municipal de Guararema e a ONG Guaranature, a SAVE Brasil está desenvolvendo um projeto de conservação dessa espécie, cujos objetivos principais são:

  • Conduzir um censo populacional do bicudinho-do-brejo-paulista em Guararema;
  • Realizar buscas pela espécie em novas áreas de ocorrência;
  • Engajar a comunidade local de Guararema na conservação da espécie;
  • Criação de uma unidade de conservação municipal.

O Projeto Bicudinho-do-brejo-paulista, da SAVE Brasil, é apoiado por:  American Bird Conservancy, Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, PLJ Writings/Neotropical Bird Club e Mohamed Bin Zayed Species Conservation Fund.

Unidade de Conservação Refúgio de Vida Silvestre Bicudinho-do-brejo-paulista

Categoria: Proteção Integral – Refúgio de Vida Silvestre

Localização: Município de Guararema, Região Metropolitana de São Paulo

Área total: 2.372,57 hectares

Perímetro: 72,03 km

Objetivos: preservação de espécies globalmente ameaçadas de extinção, com principal interesse no bicudinho-do-brejo-paulista (Formicivora paludicola) e o sagui-da-serra-escuro (Callithrix aurita), e preservação dos corpos d’água da bacia do rio Putim