Petição medidas emergenciais contra atropelamentos de animais silvestres nas Reservas de Sooretama e Vale

Petição medidas emergenciais contra atropelamentos de animais silvestres nas Reservas de Sooretama e Vale

Assine a petição do Instituto Últimos Refúgios solicitando medidas emergenciais contra atropelamentos de animais silvestres nas Reservas de Sooretama e Vale, no Espírito Santo!

Essa área é considerada uma IBA (Área Importante para a Conservação de Aves e Biodiversidade) e estima-se que mais de 20 mil animais silvestres morrem atropelados neste trecho por ano, entre anfíbios, répteis, aves e mamíferos.

Foto: Leonardo Merçon/Últimos Refúgios

Foto: Leonardo Merçon/Últimos Refúgios

Cerca de 286 espécies de aves  já foram registradas na IBA de Sooretama e o número de espécies ameaçadas presentes nas reservas (16) é o mais alto entre todas as IBAs identificadas na região da Mata Atlântica. Além disso, a área resguarda a maior e mais bem protegida população de Crax blumenbachii (mutum-de-bico-vermelho) existente em liberdade, e a maior população conhecida do periquito Pyrrhura cruentata (tiriba-grande).

A petição solicita aos órgãos competentes, as seguintes medidas emergenciais para evitar os atropelamentos de animais selvagens no trecho da BR-101 que corta a REBIO de Sooretama e a Reserva Vale, no Espírito Santo:

– Reduzir a velocidade da via para 60 km/h em todo o trecho de 25km;
– Instalar radares de trecho inteligentes que registram e monitoram a velocidade dos veículos;
– Desobstruir os túneis de drenagem de água sob a pista que podem servir como passagem de fauna;
– Fazer o cercamento da via de forma direcional para os túneis;
– Retirar as árvores frutíferas exóticas das margens da estrada (mangueiras e jaqueiras, por exemplo);
– Colocar placas temáticas de advertência e educativas no trecho;
– Instalar passagens de estrato arbóreo (passagens aéreas) para travessia de animais arborícolas (macacos e bicho-preguiça, por exemplo);
– Retirar o lixo das florestas e corpos d’água no entorno na rodovia;
– Promover ações de sensibilização dos usuários da rodovia;
– Disciplinar o uso da via pela comunidade e empreendedores locais.