Saíra-apunhalada

Saíra-apunhalada (Nemosia rourei). Ciro Albano.

Saíra-apunhalada (Nemosia rourei). Ciro Albano.

A saíra-apunhalada (Nemosia rourei) é uma espécie de extrema raridade e restrita a matas bem preservadas. Endêmica da Mata Atlântica brasileira (e provavelmente do Espírito Santo), essa espécie é listada como Criticamente Ameaçada de extinção e permaneceu desaparecida por mais de 50 anos. Já estava sendo considerada extinta na natureza por muitos pesquisadores até que, em 1998, foi redescoberta em um fragmento florestal na região serrana do Espírito Santo. Em 2003, foi registrada em uma área vizinha e desde então vem sendo observada apenas nesses dois locais.

É uma ave pequena de cerca de 10 cm, pertencente à família Thraupidae, que se alimenta de pequenos insetos e frutos. Recebeu esse nome dramático graças à sua plumagem branca e cinza com manchas vermelhas na garganta. A saíra-apunhalada habita o dossel de florestas montanas úmidas em elevações entre 850-1.250 metros. Podem ser encontrados sozinhos ou em grupos de até 10 saíras, e são ocasionalmente associados a bandos mistos. A população é estimada em apenas 50-249 indivíduos.

Assim como a maioria das espécies, a principal ameaça às saíras-apunhaladas é a perda de habitat causada pela alteração dos ambientes para o desenvolvimento de atividades humanas. A SAVE Brasil atua desde 2005 para assegurar a conservação das florestas das quais a saíra-apunhalada depende para sobreviver.