Boa notícia para a ararinha-azul

Boa notícia para a ararinha-azul

Nesse Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de junho), o Governo Federal assinou o Decreto 9.402/18 que cria o Refúgio de Vida Silvestre Ararinha Azul (29.986 ha) e a Área de Proteção Ambiental Ararinha Azul (89.996 ha) em Curaçá e Juazeiro na Bahia. Essas áreas deverão se tornar o lar dessa espécie após a sua reintrodução pelo Projeto Ararinha na Natureza.

Como parte dessa iniciativa, a SAVE Brasil realizou os estudos que embasaram a criação das unidades de conservação com apoio da Vale. O objetivo principal do Revis e da APA é preservar a caatinga para a reintrodução da ararinha-azul, já que a espécie é considerada Extinta na Natureza, ou seja, só existem indivíduos em cativeiro.

A assinatura do decreto é um importante passo para a reintrodução, e agora um dos desafios é a efetiva implementação dessas unidades. Apesar das categorias Revis e APA não exigirem desapropriações, as atividades realizadas dentro de suas áreas devem ser compatíveis com os objetivos de conservação, de forma que uma das ações mais importantes é o manejo sustentável de caprinos. Em 2017, a SAVE Brasil implementou um projeto piloto de caprinocultura sustentável através do Projeto Ararinha na Natureza. Além disso, é de grande importância a continuidade das atividades de educação e envolvimento da comunidade local, assim como a fiscalização e recuperação do habitat.

Ararinha-azul (Cyanopsitta spixii) fotografada na natureza por Luiz Carlos Marigo em 1990.

Ararinha-azul (Cyanopsitta spixii) fotografada na natureza por Luiz Carlos Marigo em 1990.