Acidentes com aves

Como saber se um filhote de passarinho precisa de ajuda?

Veja nesse link as orientações dos técnicos da Divisão de Fauna Silvestre da Secretária de Verde e Meio Ambiente da Prefeitura de São Paulo.

 

Colisões com vidraças

Os choques de aves com vidraças são muito comuns nas cidades, e estima-se que no mundo inteiro milhões de aves sejam mortas todos os anos por colisões com vidros de janelas de edifícios, veículos e outros.

Sabiá-laranjeira (Tudus rufiventris) Foto: Ciro Albano

Sabiá-laranjeira (Tudus rufiventris)
Foto: Ciro Albano

Quando a fachada de um edifício é muito transparente ou espelhada, os pássaros não enxergam a barreira física ou se confundem com o reflexo, e dessa forma acabam se chocando.

Veja algumas dicas para evitar esse tipo de acidente:

  • Na hora de escolher o vidro, evite as chapas espelhadas, que são reflexivas. Prefira modelos não totalmente transparentes, que têm algum tipo de textura ou linhas serigrafadas, ou então cole adesivos na superfície.
  • Floreiras nas janelas também são boas opções. Ao atrair os pássaros, interrompem o voo direto nas vidraças.
  • Cortinas e persianas dão cor às chapas de vidro, tornando-as opacas e mais visíveis às aves.
  • Uma forma prática e decorativa de se evitar esses acidentes é afixar nas vidraças desenhos de aves predadoras de pássaros, como falcões. Ao vê-los, as aves desviam sua rota de voo. Nesse link há silhuetas de aves disponíveis para serem impressas e coladas nos vidros: http://www.ceo.org.br/jardim/evitarco.htm

 

 Acidentes causados por aves

Outro acidente comum com aves ocorre em aeroportos, onde esses animais se chocam com aviões. Mais de metade (54%) das colisões ocorrem com aves não identificadas, e entre as identificadas, o quero-quero (13%) e o urubu (9%) são os mais atingidos. Segundo dados do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), a aviação civil brasileira registrou 1.540 ocorrências de colisões entre aves e aeronaves somente no ano de 2012.

Na maioria dos casos, as aves são atraídas pelo lixo acumulado e não descartado corretamente pelas comunidades vizinhas ao aeroporto. A redução da presença de aves na área do aeroporto de forma ambientalmente responsável é uma diretriz da Infraero para evitar as ocorrências.

Diferentes técnicas são utilizadas pelos aeroportos para minimizar os acidentes com aves. No Galeão, por exemplo, é utilizada a técnica de falcoaria, bem como em Joinville, Pampulha, Confins e Porto Alegre. Já em Belém, a técnica atualmente em prática utiliza cães, que afugentam os pássaros da área do aeroporto.